segunda-feira, 7 de junho de 2010

Renascer

Tal como o sol renasce
Depois de uma tempestade
Eu renasci
Com sede de verdade

O sangue corre-me quente nas veias
Sentindo o mundo, lutando por mim
Já não me conformo em observar por janelas
Já não desejo nenhum fim

Estou farta de esperar algo
Quero verdade, quero honestidade
Quero saber quem está comigo
Quero sentir a minha liberdade

Não quero ser mais a vítima da tempestade
Quero ser a sua causadora
E luto por isso com ansiedade
Sou uma eterna lutadora

Posso não saber se alguma vez fui amada
Mas sei que serei sempre admirada
E se já não o sou agora
Se-lo-ei na próxima hora

Se a disciplina antes não me domou
Jamais me domará agora
A fraqueza, hibernou
E agora ninguém me mandará embora!

1 comentário:

Dário Andrade/Cátia Ascensão disse...

o mais importante sem dúvida é termos o nosso cantinho
gosto muito deste texto
continua e actualiza sempre que possas
Força e nunca desistas

ass:Dário Andrade